7 de março de 2009

Trabalho de equipe!!!

Como eu e o Octávio fomos a Petropolis e fizemos todo o voo "grudados" eu "roubei" o texto que ele já havia escrito no seu blog .

Valeu Comandante!!!


Octavio feliz como voaço!

Texto e fotos Octavio Fiaes

Durante toda a semana estive trabalhando e acompanhando os voos pelo XC Brasil. Depois de muitos meses de condições ruins de voo, finalmente, em fevereiro e no inicio de março o céu abriu e as térmicas voltaram, portanto era hora de aproveitar e não deixar escapar nenhuma chance de um voo bom.
Hoje parecia um daqueles dias onde tudo conspirava para que as coisas não fossem muito bem. Eu vinha de um último voo onde tinha pousado em um momento ruim, quando uma térmica brotava e o vento, inicialmente parado, tinha virado de cauda para a minha aproximação e o resultado foi a destruição de duas barras laterais. No crash bati forte com a perna no chão e ela ainda não estava lá 100%.As barras já estavam trocadas, mas eu estava sem o rádio, que parou de funcionar também no último voo, além de uma nova regulagem que eu havia feito no meu cinto.



eu e a sede do "Universo em Desencanto" ao fundo

Caramba, asa vinda de revisão, cinto para testar, sem rádio e com a perna não muito confiável, será que isso vai dar certo?Subindo a serra com a equipe, Nader e Boi, começamos a notar a rápida formação das nuvens sobre Petrópolis e o Cindacta. Mais essa, será que vai pintar uns CBs?Ao chegar na rampa encontramos o Enio, sózinho à espera de companhia. Ele acabou decolando antes e não o encontramos em voo.



nós....

Montamos os equipamentos, peguei um rádio emprestado com o Nader, dei uns piques para testar a perna e decolamos.Ganhamos na rampa e corremos para o Cristinho. Fiquei alto, notei que o Nader estava baixo e resolvi esperar. Ele estava lutando com o seu equipamento de rádio que teimava em não funcionar e ele tinha tirado da bolsa do cinto e deixado pendurado enquanto religava todas as conexões. Depois de uns minutos tudo foi resolvido e nos encontramos à 1200 metros de altitude.Partimos no rumo de Teresópolis, saimos do chão em Santo Aleixo e vimos que um CB estava para estourar perto do pico do Dedo de Deus.


Vamos voltar, pra lá não vai dar mais!Sempre voando juntos, o Nader e eu, pegamos um térmica no falso Dedo de Deus que nos levou à 1800 metros e colamos na cordilheira até passar na altura das antenas no Morin, em Petrópolis. Visual lindo que só nosso esporte pode proporcionar. As cachoeiras, a floresta, as montanhas, os precipícios, só voando para ver e sentir a natureza em seu estado puro!Do Morim corremos para Piabetá e encontramos nosso passaporte nas pedras mais baixas perto do Morro do Avião. Alto mais uma vez, voltamos para a rampa do parque São Vicente.Um cloud street se formou entre o Cristinho e o pedágio, colamos nele e continuamos nosso voo, sempre juntos até o pouso, no Universo em Desencanto, ao pé do Tinguá.Pouco mais de três horas de voo que vão ficar para sempre na lembrança.
.
as asas!!! Combat e Moyes
.

track do voo
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A sua crítica é fundamental para melhorar meu blog. Vamos lá, deixem seus comentarios, criticas e sugestoes!

Abraços e bons voos
Nader